Kelvin Nunes Soares assume Fesporte na segunda-feira, dia 15.

Por Júlio Castro

                O novo presidente da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), Kelvin Nunes Soares, 54 anos,  deve assumir o cargo na próxima segunda-feira. Natural de Santa Maria-RS, com mestrado em Educação Física pela Udesc, gestor de basquete e atual gerente técnico da Secretaria de Esporte de Joinville (Sesporte), Kelvin teve seu nome indicado pelo Deputado Estadual Fernando Krelling (MDB) e aprovado pelo governador Carlos Moises que, na última segunda-feira, encaminhou ofício ao prefeito de Joinville Adriano Silva solicitando sua liberação.

                A iniciativa da mudança faz parte do processo da minirreforma administrativa anunciada pelo governador no início de janeiro.  A Secretaria da Casa Civil do Estado aguarda a resposta do prefeito joinvilense para tão somente fazer publicar no Diário Oficial sua nomeação para conduzir a Fesporte que, no atual governo, tem status de Secretaria de Estado desde a extinção da Secretaria de Esporte, Cultura e Turismo (SOL).

                Kelvin Soares vai assumir a presidência no lugar de Rui Godinho, que se despede da entidade na sexta-feira depois de dois anos na casa. A dança das cadeiras na Fesporte já começou com a troca de posições pontuais na hierarquia da entidade. Nesta quarta-feira (10), tomou posse Rogério Lemos Cardoso, o “Coronel Lemos”, como novo diretor administrativo financeiro. Lemos tem proximidade com o voleibol, tendo sido árbitro da modalidade.

               

Deputado Fernando Krelling (esquerda) e Kelvin Soares desenvolvem parceria de longa data e foi pela sua indicação que o novo presidente chega para conduzir a Fesporte nos próximos dois anos. Foto: Perfil social Kelvin.

Dança das cadeiras vai atingir o CED-SC

     Ao desembarcar na Fesporte, Kelvin Soares deverá promover mudanças no corpo administrativo. Do diretor de esportes às 10 gerências, além de alguns assessores e consultores, o presidente atuará em questões pontuais, uma vez que se tratam de cargos de confiança. Ele vai levar em consideração a capacidade técnica de cada novo ocupante, mas também terá que conviver com algumas indicações políticas para a ocupação dos cargos vagos.

    A dança das cadeiras também vai movimentar o Conselho Estadual de Esportes (CED-SC) com o ingresso de Kelvin como presidente da Fesporte. Também conselheiro e indicado pelo governo do Estado a ocupar uma cadeira do órgão legislador do esporte catarinense, a condição de presidente da Fesporte lhe dá o status de membro nato do colegiado. Com isso, um novo conselheiro será nomeado pelo Estado após a renúncia formal de Soares. (JC)

-------------------------------------------------------

Orçamento da Fesporte em 2021

é 18% maior que o ano de  2020

Por Júlio Castro

 

   As aplicações do Tesouro Estadual somadas a outras fontes de receitas destinadas ao gerenciamento do esporte em Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) serão de R$ 42.0009.300,00. É o que estabelece a Lei Orçamentária Anual (LOA) publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) no final de dezembro de 2020. O montante é 18% maior ao previsto para o ano de 2020 que foi de R$ 35.671.300,00.

                O Estado, por meio da LOA, tem previsão de despesas na ordem de R$ 33.028.200,00 mais uma receita estimada R$ 8.981.100,00 oriunda das arrecadações das loterias que, preferencialmente, deverá ser aplicado em competições no âmbito escolar. Os recursos destinados pelo Estado vão suprir despesas com folha de pagamento de funcionários e a realização de eventos previstos no calendário esportivo deste ano. Vão honrar também outras despesas como o pagamento de R$ 8 milhões destinados a uma agência de publicidade que recentemente saiu-se vencedora de uma licitação exclusivamente voltada para ações de divulgação e campanhas de publicidade da Fesporte.

               

Orçamento.jpg

O Estado, por meio da LOA, tem previsão de despesas na ordem de R$ 33.028.200,00 mais uma receita estimada R$ 8.981.100,00 das loterias

Emendas podem ampliar recursos

Os recursos são passíveis de alteração para mais conforme eventuais emendas parlamentares. Um exemplo foi protagonizado pela  Deputada Federal por Santa Catarina Caroline De Toni (PSL), que em novembro do ano passado, deu entrada junto ao Ministério da Cidadania com um projeto para a liberação de R$ 500 mil. O valor será aplicado na compra de bolas de handebol, basquete, voleibol, futsal e futebol de campo. Recentemente, a Fesporte adquiriu, por meio de uma licitação, um lote com cerca de 14 mil bolas para diferentes modalidades, sendo que aproximadamente 5 mil foram destinadas para a Secretaria Estadual de Educação que faz distribuição junto as instituições publica de ensino. A outra parte do lote encontra-se estocada nas dependências da Fesporte. 

cats.jpg
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram