top of page

BC Surf Festival 2023 começa em Balneário Camboriú


Veterano do surf, Neco Padaratz, figurou entre as estrelas participantes do primeiro dia do BC Surf Festival 2023


A competição começou nesta quarta-feira(29) com ondas excelentes na praia Central de Balneário Camboriú(SC). Foram pra água os primeiros rounds das categorias Master, Gran Master, Kahuna, Gran Kahuna e Legends. 



A briga pelos títulos nacionais das cinco categorias em disputa na modalidade surf do BC Surf Festival 2023 começou quente na praia Central de Balneário Camboriú(SC). As excelentes condições marcaram esse primeiro dia de competição, com as ondas chegando a 1 metro nas séries com boa formação.



 O evento tem a chancela da CBSurf (Confederação Brasileira de Surf) , e vale pontos para a última etapa do Circuito Master de Surf 2023, segunda e última etapa do Circuito Sup Surf 2023 e penúltima do Circuito CBSurf Sup Race desta temporada.



A organização não mediu esforços na produção do evento, apresentando uma bela estrutura para os quatro dias de competição, com rampa e acesso para pessoas que possuem necessidades especiais, palco para shows nos fins de tarde, área vip para atletas e convidados além do excelente centro técnico dos juízes.


 


                        Primeiro round na água em BC



A direção de prova aproveitou as boas condições e colocou na água a primeira fase das cinco categorias do surf em disputa nesse primeiro dia de evento.



A Master (acima de 35 anos) abriu a competição na praia Central e a surpresa foi à desclassificação do líder desta categoria, o cearense Jeová Rodrigues. Ele terminou em terceiro lugar na sua bateria de estreia vencida por Márcio Farney, cearense radicado há mais de 20 anos em Santa Catarina. De quebra Farney marcou a maior nota da Master, com 7.50 pontos.



Os seus principais oponentes na briga pelo título avançaram para a segunda fase. O vice-líder do ranking Itim Silva(CE) ficou em segundo na disputa acirrada vencida pelo catarinense Jefferson Duarte.



O alagoano Klinger Peixoto, número três do ranking, venceu bem sua bateria de estreia no evento e segue firme na disputa do título. Na sequencia o paranaense Péricles Dimitri (quarto no ranking) ficou em primeiro lugar na oitava e última bateria deste round, vencendo Jihad Khodr(PR) numa disputa caseira entre atletas de Matinhos(PR).


    


                    Gran Master (acima de 40 anos)


 


A categoria Gran Master veio em seguida, e logo na primeira bateria deste round o experiente Márcio Farney estabeleceu uma das maiores somatórias do dia (13.07 pts). Ele achou uma nota 7.0 em uma de suas performances para garantir a vaga para a próxima fase.



O fundo da praia Central mudou para melhor com o alargamento da praia, deixando a onda mais potente, principalmente quando se tem um swell como hoje. Treinei muito nessa vala quando minha esposa tinha um apartamento aqui e me sinto a vontade competindo em Balneário Camboriú(SC)” disse Farney.



Ele só foi superado pelo catarinense Fellipe Ximenes, que somou 13.67 pontos em suas duas melhores ondas. A maior nota das oito baterias desta categoria foi do maranhense Flávio Marão, que surfou uma esquerda bem encaixada para fazer 7.83 pontos.



É a primeira vez que venho em Balneário Camboriú e gostei muito dessa onda. Vi que os juízes estavam valorizando as manobras de junção, então esperei uma onda da série e fui com tudo para a junção e deu certo” disse o maranhense.



O líder da Gran Master Flávio Moraes(RJ) também começou bem a competição, ficando em primeiro lugar na quinta bateria desse primeiro round. O vice-líder Wallace Sampaio (BA) e o terceiro colocado do ranking José Junior(RN) não competiram em Balneário Camboriú(SC). Já o quarto colocado Rogério Dantas deu adeus à competição, após ser derrotado na primeira bateria desta fase.


 


                          Kahuna (acima de 45 anos)



Oito baterias formaram a primeira fase da categoria Kahuna. O líder do ranking Klinger Peixoto avançou em segundo em sua bateria, vencida pelo catarinense Adriano Lemos. O cearense Rogério Dantas, até então vice-líder do ranking, novamente não se encontrou na bateria e foi barrado no primeiro round, ficando de fora da disputa de mais um título.



O catarinense Roni Ronaldo, número três do ranking, começou bem sua campanha na competição vencendo sua bateria com duas notas consistentes em seu somatório (6.0 e 4.63). Na segunda colocação ficou o paranaense Márcio Veiga.



Esse primeiro round da categoria Kahuna também teve a estreia do ídolo local Neco Padaratz, bicampeão mundial do WQS. Neco competiu como convidado da Prefeitura de Balneário Camboriú, lugar onde iniciou sua carreira vitoriosa no surf competição.



Balneário sempre foi um berço de grandes talentos, e para mim em especial, é o início da minha história. Esse é um evento maravilhoso, poder encontrar pessoas que competiram com a gente em uma vida é muito bacana. É sempre gratificante poder dar um abraço nos amigos, poder prestigiar a galera local e ouvir aquele barulhinho da sirene da bateria tocando novamente” disse Neco Padaratz, que avançou para a próxima fase em segundo na sua bateria.


 


                       Gran Kahuna (acima de 50 anos)


 


Com a ausência do cabofriense Victor Ribas (líder do ranking), a disputa pelo título ficou em aberto na categoria Gran Kahuna, e promete ser disputado até a última bateria do evento.



 O vice-lider Rodrigo Jorge(RN) começou bem a competição avançando em primeiro em seu confronto. O catarinense Roni Ronaldo (3º colocado no ranking) também venceu sua bateria, deixando o carioca Artur Gama em segundo, com ambos se classificando para a próxima fase.



Outro pretendente ao título desta temporada na Gran Kahuna é o pernambucano Cláudio Marroquim, número quatro do ranking. Ele avançou para o segundo round na segunda colocação, atrás do baiano Marcelo Alves.



O ídolo Fábio Gouveia também chamou a atenção nesse primeiro dia de competição, apresentando seu tradicional surf harmonioso, com belas manobras. O "Fia" fez duas notas fortes em seu somatório (6.50 e 4.40) e avançou sem muita dificuldade para a próxima fase.



O destaque do dia ficou para o ex-top da elite do surf mundial e bicampeão brasileiro, o baiano Jojó de Olivença. Na última bateria da Gran Kahuna ele surfou uma esquerda de backside com três batidas em sequencia para estabelecer a maior nota do evento em todas as categorias até o momento: 9.17 pontos.



Fiquei surpreso com a nota, pois não consegui escutar a locução lá no outside. Entrei na bateria apenas para pegar umas ondinhas e deu certo. Esta é minha primeira vez em Balneário e a cidade é demais, muito bem estruturada. Parabéns a prefeitura pelo apoio ao nosso evento. A nossa geração merece muito tudo isso, pois todos que batalharam lá atrás fizeram por merecer, e agora reviver toda essa história” declarou Jojó de Olivença.


 


                              Legends (acima de 55 anos)


 


A última categoria a entrar na água nessa quarta-feira foi a Legends, e o líder do ranking Cardoso Júnior(CE) seguiu firme sua campanha em busca do título, vencendo a quarta bateria desse primeiro round. Em segundo ficou o catarinense Rubens Farias.



 O vice-líder Sérgio Noronha(RJ) também não deu mole em sua estreia, e venceu o terceiro confronto dessa fase, seguido por Steward Dean(SC). O número três do ranking Petrônio Tavares(CE) não retirou lycra de competição, e está fora da disputa pelo título.



Na última bateria do dia o paulista Edson Vieira, número quatro do ranking deu adeus a prova, ficando em quarto lugar na disputa vencida pelo legend local David Husadel. Jojó de Olivença ficou na segunda colocação e também avançou para o próximo round.



O evento retorna nessa quinta-feira com a primeira chamada às 6:30 da manhã, e início às 7:00 horas com a segunda fase da categoria Master abrindo o segundo dia de competição.



O BC Surf Festival 2023 está sendo transmitido ao vivo pelo canal CBSurfPlay e no site www.cbsurf.org.br .


 


Ações ambientais: BC SURF FESTIVAL 2023 terá seu carbono neutralizado!


 


O Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) é o instrumento gerencial que permite identificar, quantificar e monitorar as emissões de GEE de uma determinada atividade e/ou organização. O registro obtido através do inventário fornece subsídios para que se façam as ações necessárias para o controle e neutralização dessas emissões.



A neutralização de carbono consiste de um esforço voluntário visando obter o balanço entre emissões e absorções de GEE, com intenção de evitar as consequências que aumentam o efeito estufa e aceleram as mudanças climáticas.



Para gerir e neutralizar as suas emissões de GEE, o evento aderiu ao Programa CarbonOk®, que é uma Certificação Ambiental aplicada pela Ambiens Sustentabilidade Integrada que atesta os esforços e as boas práticas relacionadas à gestão dos GEE de uma empresa ou de um evento.



A equipe técnica multidisciplinar do Programa CarbonOk® atua no planejamento, execução, operação, encerramento e auditoria dos projetos de GEE, de acordo com metodologias internacionalmente reconhecidas e diretrizes recomendadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e pelo IPCC (Intergovernamental Panel for Climate Change), além de atender a todas as exigências da legislação ambiental vigente no Brasil.



A aplicação do Programa CarbonOk® traduz os esforços daquelas empresas e indivíduos conscientes do seu papel para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono, preocupadas com os problemas decorrentes do aquecimento global e das mudanças climáticas.



Além de buscar ser a mudança que queremos ver no mundo e de dar o exemplo, um dos objetivos do Programa CarbonOk® também é servir como uma ferramenta para contribuir com sensibilização, conscientização e educação ambiental da população quanto à problemática do aquecimento global, identificando fontes de emissões e salientando a importância de mitigação e da compensação delas por meio do plantio de árvores ou da compra de créditos de carbono.



Durante a competição a equipe do Programa CarbonOk® estará inventariando todas as emissões de GEE relacionadas diretamente e indiretamente ao evento, elaborando posteriormente um relatório para apresentar à CBSURF e à Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, para posteriormente realizar a neutralização por meio de um plantio de árvores nativas no município. A área do plantio de neutralização será indicada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Balneário Camboriú.



Para aumentar ainda mais a função de compensação de GEE e o auxílio no combate às mudanças climáticas, o evento está fechando uma parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Balneário Camboriú para a doação de mudas durante o evento.


 


                    Espaço para inclusão e engajamento social


 


O Programa de Inclusão e Engajamento Social é responsável por engajar a sociedade na atuação de determinadas pautas, neste caso, à pauta socioambiental e ao evento em questão.



      O maior engajamento deste evento é com a associação de surf local (Associação de Surf de Balneário Camboriú - ASBC) e com a Federação Catarinense de Surf (FECASURF), que estão participando da organização e do staff do evento, gerando:


 


Experiência e qualificação profissional de organizadores, staff e atletas locais, com ícones do surf nacional;

  • Trabalho e renda para diversos colaboradores locais que estarão atuando no evento, tanto em função de produção, como em funções técnicas.

  •  

Além disso, é sabido que quanto mais próximos e trabalhando juntos estiver o tripé social (Terceiro Setor – Poder Público – Iniciativa Privada), melhores e mais assertivas serão as ações sociais no município e no território.



Desta maneira, este evento proporcionará mais uma oportunidade de aproximação, engajamento e integração social destas instituições, com o objetivo de ganhos públicos para a sociedade.



Este engajamento entre Terceiro Setor e Gestão Pública possibilitará a realização de parcerias ganha-ganha, onde estas instituições utilizarão dos eventos e de seus benefícios de comunicação como ferramenta de valorização e fortalecimento das suas campanhas socioambientais, que atingirão de maneira direta todo o público surf, assim gerando ganhos de educação ambiental para a sociedade e valor agregado ao evento e às instituições.



Haverá uma área para engajamento socioambiental junto à estrutura do evento, com o objetivo de valorizar e fortalecer as pautas socioambientais do município. Nesta área, as instituições que quiserem apresentar os seus trabalhos serão muito bem vindas e acolhidas pelo evento.



A seguir conheceremos as instituições que serão convidadas para o evento e acolhidas ativações socioambientais, caso elas queiram executar:

  • Projeto Recicla BC da SMMA;

  • Empresa Igara (sobre recuperação das dunas);

  • Empresa Caruso (sobre alargamento da praia);

  • UNIVALE (PMP e Laboratório de Mergulho Submarino);

  • Oceanic Aquarium (vida marinha);

  • Projeto Terra Limpa;

  • Fitoterapia (SMMA);

  • Projeto Keep The Ocean Blue;

  • ONG Eco Local Brasil;

  • EMASA (Empresa Municipal de Águas e Saneamento);

  • Secretaria de Educação de BC;

  • Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social de BC.

      Ao longo dos próximos dias estas instituições/projetos poderão confirmar ou não, e novas instituições/projetos ainda poderão ser convidados.



A CBSURF tem criado o hábito de receber e acolher crianças de projetos sociais e/ou de instituições de ensino da rede municipal para realizar um tour o evento, apresentando todas as áreas e todas as profissões relacionadas, mostrando a elas a variedade de profissões que o esporte e um evento esportivo pode oferecer, instigando-as a estudar para futuramente se colocarem no mercado de trabalho, trabalhando com o que gostam.



Esta ação estará sendo ativava em parceria com a Secretaria de Educação de BC e a Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social de BC.


 


                        Gestão Sócioambiental do evento


 


Um evento de surf possui um grande potencial de gerar impactos socioambientais, negativos e positivos, devendo ser gerido da melhor maneira possível, com o objetivo de reduzir/eliminar/compensar os impactos negativos e potencializar/fortalecer os impactos positivos.



Este planejamento, além de realizar o controle ambiental e legal do evento, ainda garante que a imagem gerada pelo evento seja positiva perante a sociedade, reduzindo a possibilidade de embargos e de mídia negativa para os eventos e para os patrocinadores, devido à uma gestão socioambiental desorganizada.



Um evento que atua com Responsabilidade Socioambiental acaba conquistando um valor agregado, o que acaba se tornando um diferencial competitivo em relação a outros eventos, desde que gerido e comunicado de maneira eficaz.



Para suprir estas necessidades e oportunidades, elabora-se um Plano de Gestão Ambiental (PGA), personalizando um trabalho diante da estrutura e do orçamento disponível, e das peculiaridades ambientais, sociais e culturais da praia e da comunidade local em questão.



Conforme o próprio nome já diz, um Plano de Gestão Ambiental é um planejamento do gerenciamento dos aspetos socioambientais do evento em questão, elaborado por profissional tecnicamente e legalmente habilitado, que emite Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) pelo trabalho.


 


                           Selo evento sustentável Fecasurf


 


Como esta competição da CBSURF está sendo realizada em solo catarinense, este evento está se moldando ao regulamento ambiental da FECASURF, que possui uma Instrução Normativa (IN) própria para a área de sustentabilidade.



Em 2023 a FECASURF lançou o SELO EVENTO SUSTENTÁVEL, com o objetivo de certificar boas práticas em eventos de surf realizados em solo catarinense, evidenciando à sociedade os esforços das instituições e dos promotores de eventos frente à sustentabilidade e, consequentemente, oferecendo ganhos de imagem e de valor agregado aos eventos, às instituições e aos patrocinadores.



Os eventos que comprovarem boas práticas de gestão socioambiental, cumprindo a IN da FECASURF, poderão utilizar o SELO EVENTO SUSTENTÁVEL, comunicando para toda a sociedade a sua Responsabilidade Socioambiental atestada pela autoridade máxima responsável pela gestão do surf catarinense.



A CBSURF tem respeitado o regulamento de sustentabilidade da FECASURF em todos os eventos produzidos em solo catarinense, mostrando enorme Responsabilidade Socioambiental e sempre conquistando o SELO EVENTO SUSTENTÁVEL.


 


                                BC Surf Festival 2023



Patrocínio: Prefeitura de Balneário Camboriú e Fundação Municipal de Balneário Camboriú.


Apoio: Oceano Surfwear, Matuto Restaurante, CCS Telecom, Clube Candeias, Fu-Wax, Surfland Brasil, Ambiens, Carbon OK, Nicky Ooh, Emasa, MB e D’Vicz.


Homologação: Fecasurf e ASBC


Realização: CBSurf (Confederação Brasileira de Surf)




                                        Prime.Press07 Assessoria & Comunicação


                                       Jornalista: João Lopes/Textos


                                   @prime.press07 – Email: prime.press07@gmail.com 

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page