Kelvin Soares faz balanço de um mês presidente da Fesporte

Atualizado: 8 de abr. de 2021

Dirigente salienta garantias de autonomia da entidade durante processo de reforma administrativa e quer trazer de volta os coordenadores esportivos


Em comunicado publicado em um grupo de dirigentes esportivos municipais e membros do Conselho Estadual de Esporte (CED-SC), no último sábado (13), o presidente da Fesporte Kelvin Soares fez um balanço do seu primeiro mês como ordenador da entidade e reforçou seus compromissos com a instituição.

Em seu pronunciamento, Kelvin destacou que, mesmo diante da crise sanitária que o Estado atravessa, foi possível tomar conhecimento dos processos e demandas que movem a Fesporte. Os 30 dias iniciais de sua gestão foram dedicados a fortalecer as relações institucionais, sobretudo com as demais secretarias de governo.


Disse que o governo tem acompanhado as ações da Fesporte com muita proximidade e interesse, dada a significativa importância que a instituição representa para a sociedade. O governo, conforme seu plano de gestão, mantém plena avaliação destas ações e principalmente os indicadores que ela representa em diferentes contextos.

“É importante ressalvar que tal avaliação está diretamente ligada às nossas ações, pois é impactada pelas entregas necessárias e propostas no plano”, acentua Kelvin.

Ao ponderar sobre questões pontuais, alvo de questionamentos que diariamente lhe chegam por meio de diversos canais, o presidente destaca que em recente reunião com a Secretaria de Estado da Administração (SEA), teve a garantia de que a Fesporte não perderá seu poder decisório que ao longo dos anos detém sobre suas ações. A Fesporte, segundo foi lhe assegurado, terá participação direta em qualquer discussão que a envolvam na possível reforma administrativa que está em andamento.

Outra questão pontual que afeta diretamente o planejamento das iniciativas da Fesporte tem relação com papel dos coordenadores esportivos. No ano passado, inúmeros servidores foram desligados das suas funções em diversas regiões do Estado.

“Eles foram desligados por motivos alheios a nossa vontade. A contribuição de tais servidores é imprescindível no somatório de esforços que objetivam fazer com que Santa Catarina continue sendo referência esportiva. Não vamos medir esforços para alinhamentos necessários para que possamos reverter esse quadro. Compactuo da angústia de todos e estou buscando solucionar a situação”, disse. Segundo Kelvin, a tramitação segue em “passos largos” e em breve deverá apresentar novidades sobre a questão.

52 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo