APAN/Eleva/Blumenau se despede da Superliga


A luta, a superação que marcaram a participação da APAN/Eleva/Blumenau na Superliga Banco do Brasil 2020-21 foram a tônica do segundo confronto com o Minas Tênis Clube, pelas quartas de final.

A partida realizada na tarde e noite desta segunda-feira, 15 de março, no Galegão, em Blumenau, se transformou numa batalha com pouco mais de duas horas de duração. Ao final, vitória dos mineiros por 3 a 1, com parciais de 25/21, 25/16, 24/26 e 30/28.

A sonhada vaga para semifinal da competição não veio, mas o que se viu em quadra foi a força de um elenco que soube novamente levantar a cabeça e seguir em frente para superar as adversidades.

O jogo

Depois de vencer os dois primeiros sets, o Minas abriu o terceiro com uma boa vantagem nos momentos iniciais, mas a APAN/Eleva/Blumenau encostou no placar, evoluindo seu side out e com um saque mais assertivo. A partir da entrada do Renato Russomano, o time também melhorou no fundo de quadra e no passe.


Com 10 a 10 no placar, os dois times trocaram pontos até 20 a 20. Com um bloqueio de Renato sobre Escobar, Blumenau abriu 22 a 20. Veio um novo empate em 23 a 23 numa decisão controvertida do primeiro árbitro, dando bola fora do oposto Franco, discordando do fiscal de linha que havia marcado dentro. A APAN salvou dois match points – os mineiros fizeram 24 a 22 – para virar em 26 a 24 e se manter vivo na partida.

No quarto set, a emoção ponto a ponto foi ainda maior. Os mineiros abriram 3 a 0, mas o time blumenauense virou para 7 a 6, passando a mandar no jogo. Novo empate, agora de 23 a 23. A luta para levar o jogo para o tie break chegou ao fim com um toque na rede do levantador Evandro. O placar do set comprovou o equilíbrio e a luta do time blumenauense: 28 a 30 com quase 38 minutos de disputa.


Texto e Fotos: Assessoria de comunicação APAN/Eleva/Blumenau



14 visualizações1 comentário