Setor esportivo catarinense aguarda revogação de portaria

Atualizado: 9 de abr. de 2021


Representantes do COES devem se reunir nessa sexta-feira para reavaliar portaria. Foto: Fabrício Escandiuzzi/SES

A semana que foi marcada por uma forte mobilização de parlamentares, dirigentes e representantes de setores que movimentam o esporte em Santa Catarina através de uma audiência pública realizada na última segunda-feira (05), poderá terminar com novidades. O deputado estadual Fernando Krelling (MDB) informou na tarde desta quinta-feira que o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) deve se pronunciar oficialmente sobre o pleito da comunidade esportiva.

O parlamentar disse que as restrições impostas pelo órgão estadual de controle diante da crise sanitária provocada pela pandemia do Covid-19 vão além do fator econômico e os 13 meses da quase totalidade do setor esportivo inativo. "O esporte não é o vilão. O esporte muda a vida das pessoas para o bem e não para o mal como alguns decretos e portarias estão demonstrando por aí, infelizmente", afirmou Fernando Krelling.

Também profissional de Educação Física, Krelling informou que além da demanda de pedidos e apelos feitos pelos setores esportivos, a Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) também já elaborou, através de um documento, seu posicionamento quanto a liberação das atividades. Segundo ele, o documento pede a abertura dos estabelecimentos fundamentada em critérios sanitários e de segurança que, espera, vão ao encontro dos conceitos de segurança do COES.

O COES deve se reunir ainda nesta sexta-feira (09) para analisar o pleito e a expectativa é pela revogação de alguns dispositivos impeditivos da Portaria 1005, incluída no Decreto Estadual 562 , de 17 de abril de 2020. A Portaria libera os esportes recreativos, porém restringe sua prática para as regiões com risco gravíssimo.

  1. O § 2º prevê que "nas Regiões de Saúde que apresentem Risco Potencial Gravíssimo (representado pela cor vermelha) na Avaliação de Risco Potencial para COVID-19, os esportes coletivos recreativos ficam proibidos, exceto os esportes recreativos individuais e aqueles que não acarretem contato físico". "Caso não mudem nada, continuaremos brigando por essa causa", prometeu Krelling, informando que teve remarcada sua reunião com a governadora Daniela Reinehr para a próxima semana para tratar do assunto.

236 visualizações0 comentário